sábado, 14 de fevereiro de 2009

sábado com chuva...


Hoje é sábado e esta chovendo.
Engraçado, sábado com chuva não parece sábado.
Sábado pra mim tem que ter sol, afinal é dia de sair com as crianças, de arrumar a casa melhor, de ir ao mercado, de lavar aquelas roupas especiais, aquelas que a gente lava na mão, enfim todas aquelas coisas que a gente deixou pro sábado.  Não tem escola, não tem muito horário, e algumas dessas coisas, são até meio chatinhas de fazer, mas com sol fica até legal e acaba virando um passeio.
Sábado com chuva é uma tremenda sacanagem com as crianças. Estudaram a semana inteira, mochilas abarrotadas, deveres de casa intermináveis.
 Aí tem sempre um “Joãozinho” que pergunta: - professora pode ser o papai? ( a mãe deve ser nervosa) e o pai deve ser daqueles executivos lindos, que trabalham em empresas bem sucedidas,  com uma secretária pra ninguém botar defeito. Uma mesa impecável, com tudo a tempo e a hora. Chegam à noitinha com os bolsos cheios de bala, um belo sorriso, braços abertos e muita disposição para salvar a “pobre criança” das mãos de uma mulher que abriu mão da própria vida, em um momento de total paixão. Construiu um castelo que começa a desmoronar e a “tia de fala doce” responde: - claro que pode meu amor.
Continuando, fizeram mil planos para o sábado e agora?
Minha Maria disse fazendo beicinho que segunda feira se estiver sol, não vai à aula. Vai jogar os cadernos pela janela, e na terça, faça chuva ou faça sol, vai esquecer o livro de propósito.
Claro que ela no auge do seu momento dramático exagerou e eu deixei que ela encenasse para extravasar toda a sua frustração diante de um sábado com chuva.
Outro dia fui ao sacolão e quando estava voltando meu carrinho de compras se desmilinguiu inteiro. Parei por alguns segundos, fiz cara de paisagem e fiquei olhando algumas laranjas saírem correndo. Pareciam até que sabiam que iam ser descascadas e correu ladeira abaixo.  Eu fiquei me sentindo uma criminosa exterminadora de laranjas, mas eu consegui pegá-las porque estava sol, porque essa mesma cena com chuva com certeza as laranjas fujonas levariam a melhor.
E minhas blusas, algumas calcinhas e meias que eu faço questão de lavar na mão, com sabonete de boa qualidade, pra dar aquele cheirinho todo especial, brincando com aquela espuma cheirosa, como quando eu era criança, nada feito, ou melhor, nada lavado.
Fazer uma arrumação melhor na casa, colocar as almofadas e travesseiros no sol, aspirar o tapete e colocar lá fora enquanto passo um bom pano úmido na casa, levantar os colchões, lavar as cortinas, com chuva? Definitivamente. não dá.
Ah... E levar as crianças no parque ecológico? Andar de patins na lagoa? De bicicleta enquanto eu dou uma boa caminhada entre as árvores e flores? Com chuva também não dá.
Bom eu poderia ficar aqui horas e horas descrevendo um monte de coisas que eu faria se estivesse sol.
Eu sei que vão aparecer eternas otimistas, e nessas horas de total decepção sempre aparece alguém com aquela voz meiga, mansinha, dizendo que as plantinhas precisam da chuva,  e ainda completa, olhando bem nos meus olhos, ignorando totalmente o meu sentimento e fazendo eu me sentir uma droga.
Nossa!!! Que chuvinha boa pra ler um livro, pra costurar, pra comer uma feijoada ou quem sabe contar uma bela estória para as crianças?
Paaaaaaaaaaaaaaaaaaara!!!!
A minha realidade é bem outra... vou ficar em casa tentando costurar porque meu filho pré aborrecente e Minha Maria quase escandalosa vão acordar exatamente na mesma hora. A primeira briga do dia vai ser por causa do banheiro, depois por causa do controle da televisão, do cd da Rihanna que os dois querem escutar ao mesmo tempo, do lugar no sofá, do último iogurte, do telefone... E quando eu não aguentar mais vou mandar os dois para o quarto estudar. Aí eles vão brigar por causa do lápis da Maria que sumiu, o João vai jurar chorando que não pegou. O dicionário que os dois vão precisar ao mesmo tempo. E eu vou continuar tentando costurar. Levando um susto atrás do outro e errando o ponto cada vez que ouvir um grito
Isso é só um tira gosto de como vai ser meu sábado.
E que ninguém se atreva a perguntar o  que meu marido vai fazer neste sábado de chuva.
Tenham todas um ótimo sábado.
Mesmo que seja com chuva.
Com filhos aborrecentes.
Com Marias escandalosas...
Com maridos ausentes.

Carla Pianchão

2 comentários:

Marco Crupi disse...

Hello I really like your blog, I would like a link exchange with you, I insert your blog to my favorite blogs ;)



the address of my blog is: http://marcocrupifoto.blogspot.com/



My blog deal of the art of photography.

( photo technique, post production, photo retouching, Reportage, how-to and articles )

Quarto de Despejo disse...

Carla,

Aqui no Rio tb está chovendo... Escuto lá embaixo um samba com um som horrível de algum bloco que está "passando" há umas 2 horas...
Alguns carros buzinam iritados, e guardas apitam, tentando controlar o transito pelo inconvenientes do bloco.
Eu aqui esperando a Net para instalar meu telefone, e nada deles....
Daqui a pouco vou descer com minha camera embrulhada em plastico de cobrir vasilhas para colocar na geladeira e vou me divertir fotografando...
Está chovendo? As crianças inquietas sem ter o que fazer?
Quer um conselho?
Faça uma coisa diferente com eles. Coloquem umas roupas mais velhas,havainas e dê um passeio na chuva, brinque com seus filhos na chuva.. é uma delícia! E diferente! Resfriado? Não eles não vão se resfriar, não está frio apesar da chuva...Eles vão se esbaldar, e vc tb! Vão rir a valer. Que tal depois dessa coisa inusitada um banho, um lanche ou almoço, e quem sabe um cineminha com as crianças? Tá cheio de filmes que eles gostariam.
DEixe os travesseiros, as almofadas, e as roupás especias para serem lavadas outro dia.
Lave a alma na chuva!
E com alegria!
aproveite!

Grande beijo!

Lucia